Emprego
Classificados
Meteorologia
Farmácias
Resultados Futebol

Arquivo

Sociedade

Numa noite arderam três carros numa tentativa de roubo de gasolina que correu mal
Roubos de combustível e viaturas incendiadas assustam moradores de Samora Correia

foto

A Polícia Judiciária está a investigar o incêndio que começou num carro de madrugada e que se alastrou a outras duas viaturas, suspeitando-se que as chamas deflagraram quando assaltantes furaram um depósito de combustível

Edição de 2011-07-21
Imprimir ArtigoComentar ArtigoEnviar para um amigoAdicionar aos favoritos

Os frequentes roubos de combustível em camiões e viaturas ligeiras em Samora Correia, concelho de Benavente, estão a assustar a população e algumas pessoas confessam que já têm medo de deixar os carros na rua durante a noite. Terá sido numa tentativa de roubo do combustível numa Mitsubishi Spacestar que arderam esta e mais duas viaturas na madrugada de quarta-feira, 13 de Julho, na Rua dos Operários Agrícolas e que levou a Polícia Judiciária a iniciar uma investigação.

Suspeita-se que ao furarem o depósito de combustível os assaltantes tenham provocado uma faísca que originou o incêndio. As chamas alastraram a dois carros, uma carrinha Peugeot e a um Renault Clio que estavam estacionados ao lado e que ficaram destruídos. Alguns habitantes da cidade dizem-se alarmados e garantem que os furtos de combustível têm aumentado desde o início deste ano, situação ao que não deve ser alheia os aumentos dos preços da gasolina e gasóleo.

Odete Ribeiro foi uma das pessoas que alertou as autoridades para o incêndio nas viaturas, pouco faltava para as cinco da manhã. “Acordei com o cheiro a fumo e com algumas explosões e vim à janela. Vi um grande clarão mas na altura não sabia que o incêndio era em carros dos moradores do prédio”, revela. O incêndio foi combatido durante uma hora por sete bombeiros e duas viaturas dos Bombeiros Voluntários de Samora Correia. Nenhuma das viaturas pode ser recuperada e os estores de um apartamento próximo tiveram de ser substituídos por terem derretido com o calor.

Perante um crescente sentimento de insegurança os moradores apelam a um reforço da vigilância. “Tenho dois vizinhos a quem já roubaram o depósito da camioneta com que ele distribui o pão. Tinha a carrinha parada à porta de casa e na manhã seguinte tinha o tanque vazio”, conta a O MIRANTE Alfredo Sousa, um dos moradores. Mauro Dias tem uma oficina de mecânica na zona à qual já recorreram vários moradores com os depósitos furados. “Colocamos uma massa vedante temporariamente para as pessoas poderem, pelo menos, ir para o trabalho de carro”, diz.

Mauro Dias revela que são muitos os moradores que já ficaram sem gasolina ou gasóleo. “O roubo do combustível já é um problema para as pessoas, que ainda têm prejuízos pelo facto de o depósito ficar danificado e impedir que o carro possa circular”, salienta o mecânico. Até há uns tempos os ladrões abriam a tampa da entrada para abastecimento dos depósitos e colocavam uma mangueira com a qual retiravam o combustível. Mas algumas marcas de automóveis colocaram dispositivos que impedem a retirada do produto por este método o que levou os ladrões a passarem a usar a técnica de furar o depósito.

Diga o que pensa sobre este Artigo. O seu comentário será enviado directamente para a redacção de O MIRANTE.

Gostei Concordo
Comentários
Nome Email
Autorizo a eventual publicação na edição em papel do Mirante.

2008 © Jornal O MIRANTE, todos os direitos reservados | Termos de Utilização | Política de Privacidade | FAQ’S | Contactos | RSS

Voltar ao topo