Emprego
Classificados
Meteorologia
Farmácias
Resultados Futebol

Arquivo

Sociedade

Terreno da Câmara de Santarém situado junto a urbanização constitui um mau exemplo de zelo do espaço público
Apartamentos com vista para um matagal

foto
Edição de 2011-07-21
Imprimir ArtigoComentar ArtigoEnviar para um amigoAdicionar aos favoritos

De um lado um espaço de lazer aprazível com relva aparada e aspecto asseado. Do outro lado da estrada um matagal onde se acoitam ratos e outra bicharada e para onde é despejada toda a sorte de detritos. As situações convivem frente a frente no Alto do Bexiga, na periferia de Santarém no espaço público destinado a equipamentos situado entre os prédios das ruas Salgueiro Maia e Jorge de Sena. A Câmara de Santarém. proprietária do terreno, já foi alertada para a situação, mas a situação permanece por resolver.

O abandono a que está votado aquele espaço com uma área aproximada de meio campo de futebol não é do agrado dos moradores, que para além do aspecto degradante temem a possibilidade de ali ocorrer algum incêndio devido à quantidade de vegetação seca ali existente. Não muito longe situa-se um depósito de gás que abastece os apartamentos, o que é um facto de preocupação acrescido.

Um morador que contactou

O MIRANTE refere que o local é regularmente usado por grupos de pessoas que o usam para actividades pouco lícitas e que a Polícia já lá terá sido chamada. “Esta situação não se coaduna com um bairro novo, com uma população jovem, que se pretende airoso e com um ambiente saudável, sobretudo para famílias com crianças que precisam de tranquilidade e de espaços verdes”, diz esse morador, acrescentando que não é possível continuar a conviver com um espaço como aquele e que o investimento ali a fazer para o ajardinamento não será de grande monta.

O vereador da Câmara de Santarém com o pelouro do Urbanismo, João Leite (PSD), diz que aquela área já foi limpa várias vezes e que em breve deverá ser feita nova operação do género. O terreno foi cedido à autarquia no âmbito da construção da urbanização, sendo destinado a equipamentos. Em tempos falou-se na possibilidade de ali se construir uma capela, mas dada a actual conjuntura não há nenhuma intervenção prevista a esse nível, diz o autarca.

Diga o que pensa sobre este Artigo. O seu comentário será enviado directamente para a redacção de O MIRANTE.

Gostei Concordo
Comentários
Nome Email
Autorizo a eventual publicação na edição em papel do Mirante.

2008 © Jornal O MIRANTE, todos os direitos reservados | Termos de Utilização | Política de Privacidade | FAQ’S | Contactos | RSS

Voltar ao topo