O Jornal de Estarreja
Versão normal • Versão acessível  

Edição de 23-10-2014

Seccões

 

Consulte o Arquivo

 

Arquivo: Edição de 28-03-2007

SECÇÃO: Sociedade

Obra de caridade apoia trinta famílias do concelho de Vila Franca de Xira
fotoMães da Paróquia de Alhandra estendem mão amiga a quem precisa

“Fazer o bem sem olhar a quem “bem podia ser o lema da associação que apoia dezenas de famílias com alimentos, roupas, medicamentos e até enxovais para quem não tem nada para iniciar uma nova vida.
Alice Pedro, Alcides e Lurdes Rodrigues, Lurdes Machado e Ilda Moreira são os principais rostos da Obra das Mães da Paróquia de Alhandra, uma associação que surgiu no ano 2000, sob o mote do Jubileu, e que desde essa altura já ajudou centenas de famílias carenciadas do concelho de Vila Franca de Xira. “Não damos por dar, damos a quem tem necessidade”. É deste modo que Ilda Moreira descreve o trabalho da Obra das Mães da Paróquia de Alhandra. Logo no primeiro ano, enviaram 12 enxovais completos para Timor, com alguns fatos de baptizado, e deram o enxoval a sete grávidas. A partir daí, não pararam de ajudar quem lhes bate à porta.
A Obra das Mães da Paróquia de Alhandra dá apoio continuado a 30 famílias do concelho. Esse apoio traduz-se sobretudo na entrega de um avio mensal de alimentos e em roupa para as crianças (incluindo enxovais para os que ainda não nasceram). “Temos uma senhora que nos faz vestidos de baptizados novinhos”, diz Ilda Moreira. No início de cada Verão e cada Inverno, distribuem roupa para a estação inteira às crianças que mais precisam. São várias as pessoas que ajudam a associação a ajudar. “Temos também uma senhora com 90 anos que nos faz quatro ou cinco mantas de lã todos os anos”, diz, com orgulho, Ilda Moreira.

Donativos são fundamentais
para manter ajuda
As pessoas chegam à associação sobretudo encaminhadas pela assistente social, pela câmara municipal ou pelas juntas de freguesia. Nenhuma das pessoas que ali bate à porta sai sem ajuda. “As pessoas vêm sempre aqui em desespero”, diz Ilda Moreira, justificando assim o primeiro apoio. Depois desse primeiro auxílio, há que verificar se as pessoas reúnem, de facto, as condições para continuar a receber essa ajuda. Para os donativos, a associação conta com a colaboração de escolas, do comércio local, da Câmara Municipal de Vila Franca de Xira e da Junta de Freguesia de Alhandra. Um envolvimento da comunidade em geral que se traduz numa preciosa ajuda aos que mais precisam.
Todos os anos organizam uma festa de Natal para as crianças das famílias que apoiam. Os meninos podem levar amigos e ninguém deixa a festa sem receber um brinquedo. No último Natal, as 75 crianças que participaram na festa deixaram a associação quase sem nada. Logo a seguir veio a notícia do incêndio no Sobralinho que os levou a reunirem forças para ajudar mais uma família. Nesse momento, ficaram sem nada. Mas quem ajuda nunca fica sem ajuda e, em quinze dias, tinham a casa cheia de donativos outra vez. “Foi uma coisa extraordinária!”, lembra Ilda Moreira.
Para os membros da associação, “não importa se é de perto ou se é de longe, não interessa a raça ou o credo da pessoa”. A Obra das Mães da Paróquia de Alhandra apoia também famílias de imigrantes de leste ou do Brasil, mesmo que não tenham os documentos necessários.
No entanto, nem tudo são rosas. Apesar de haver algumas pessoas que, quando deixam de precisar de ajuda, informam a associação, outras há que, quando confrontadas com o facto de já não necessitarem de auxílio agem como se o grupo tivesse obrigação de as continuar a sustentar. Ilda Moreira recorda o caso de uma senhora que costumavam ajudar até que esta começou a receber uma reforma. Depois disso, descobriram que a senhora até comprou uma mobília nova e passou a dar, por auto-recriação a outras pessoas os donativos que recebia da associação. “Tenho sido insultada em tudo quanto é sítio mas temos que ser firmes”, afirma Ilda Moreira. Para além de casos esporádicos de pessoas que não aceitam deixar de ser apoiadas, o outro problema que afecta a associação é a falta de espaço. Ocupam um espaço do Centro de Actividades Paroquiais de Alhandra (CAPA), demasiado pequeno para a quantidade de donativos que ali acumulam. A Câmara Municipal de Vila Franca de Xira aprovou há pouco tempo a cedência de um espaço no Mercado Retalhista de Alhandra onde a associação espera em breve começar a expor e vender as peças de costura e artes decorativas que os seus membros fazem nos tempos livres e que lhes valem uma preciosa ajuda depois de vendidos. A data da mudança para o espaço no mercado é ainda uma incerteza mas há já expositores postos de parte à espera desse dia.





 

Topo

Símbolo de Acessibilidade à Web. [D]
Bobby WorldWide Approved AAA
Símbolo de conformidade nível A, Directivas de Acessibilidade ao conteúdo Web 1.0 do W3C-WAI

© - Powered by Ardina.com, um produto da Dom Digital.
Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.